Tem a nostalgia das histórias
Num passado de memórias
Envolto no som do mar
Quem te canta e sonha como eu
Deseja um abraço teu
Na hora de regressar.
 
Nos barcos da coragem e da dor
Numa largada, o amor
Vai na onda que desmaia
No seu coração, a fé, o pranto
A mulher do negro manto
Vai acenando da praia.
 
Refrão:
Praia de Mira,
Protege o meu pescador
Traz depressa o meu amor
Nossa Senhora do Mar
Virgem Maria
Vou acender uma vela
Na vossa humilde capela
Enquanto ele não chegar.
 
O pão que vem do mar e nos sustenta
Que conforta e alimenta
Nas fadigas e marés
Na praia as raparigas trazem flores
Para dar aos seus amores
Que suspiram do convés.
[António Laranjeira]