Armindo Fernandes nasceu a 20 de janeiro de 1946, em Vagos. O seu talento começou a emergir por volta dos 18 anos, na sua terra natal, tendo sido mais aprofundado em Lisboa, onde decidiu fazer da música, mais concretamente da guitarra portuguesa, a sua profissão. Na capital, na década de 70, desenvolveu uma carreira brilhante, passando a ser presença assídua em programas de rádio e televisão. Acompanhou nomes sonantes do fado, como Cidália Moreira, Hermínia Silva, António Mourão, Frei Hermano da Câmara, Tristão da Silva, Carlos do Carmo, Camané, entre muitos outros e, atualmente, acompanha os primeiros passos de novos e jovens valores no mundo do fado. Para perpetuar a sua “magia”, em 1984 gravou o disco “Canto de minhas mãos”, ainda hoje considerado obra-prima na execução da guitarra portuguesa e que o fez estar citado na página oficial do Museu do Fado. Em 1989 recebeu, da Câmara Municipal de Vagos, a medalha de prata de mérito municipal e, em 2013, foi distinguido, na IX Gala Vaga D’Ouro, com o Prémio Carreira. Atualmente, divide o seu tempo entre ensaios, promoção de espetáculos, gravação de discos e a preparação de um novo álbum em nome próprio.